quarta-feira, 27 de maio de 2009

METODOLOGIA DO PROJETO TEATRO D@ FLORESTA

1-Tipo de delineamento:

Neste projeto pretendo delinear minha pesquisa como um estudo no campo da criação artística, mais especificamente, no campo da documentação do processo criativo, em suas versões digitais na contemporaneidade.

Baseada, teoricamente, nos estudos filosóficos e estéticos Deleuzo-Guattarianos - mais especificamente, na teoria do conhecimento rizomático e na experimentação do ato de fabular - e, nos novos estudos sócio-culturais denominados de cibercultura, esta pesquisa pretende, menos explicar o fenômeno das práticas narrativas hipermidiáticas de processos de criação de artistas da cena na contemporaneidade e mais, compreende-lo.

Quanto à metodologia, o híbrido será o caráter das minhas opções metodológicas de abordagem. Será híbrida porque estará tanto à luz da prática cartográfica quanto da historiografia, assim como porque se apresenta na confluência de duas linguagens: cênica e hipermídia.

Será relevante para esta pesquisa que nós encontremos como sujeito que somos, no exercício de nossa escrita digital, o nosso próprio “modo de conhecimento prático”, ou seja, a faculdade de interpretação que todo indivíduo ou coletivo possui e põe em ação na rotina de suas atividades práticas cotidianas.


2 - Delineamento do corpus:

O objeto desta pesquisa é a prática narrativa feita por artistas da cena, sobre os processos de criação de seus coletivos - muitas vezes denominada de memórias, diários de trabalho, diários de bordo, histórias de vida - e, mais especificamente, a escrita hipermidiática (sites, blogs, biomídias, biowebs e etc), versões contemporâneas desta prática.
3 - Operacionalização das variáveis:

Nosso entendendo que no contexto das pesquisas qualitativas não há a obrigatoriedade da operação das variáveis, penso serem interessante operá-las, na perspectiva de dilatar o objeto em complexidade.

Variáveis quanto à:

Ambientes virtuais das práticas narrativas.
Focos das narrativas.
Gênero das narrativas.
Sistematização dos relatos
Suporte dos relatos
Utilização ou não de documentos de processo


Natureza dos documentos de processos (textos dramatúrgicos, roteiros, fotos, vídeos, material de pesquisa, depoimentos, entrevistas, anotações, diários, story-boards, etc).
Quantidades de processos registrados
Princípios de utilização e divulgação dos relatos
Meios de publicação.

4 - Amostragem:

Este projeto pretende buscar, nas sensíveis variáveis deste corpus, objetos e seus respectivos sujeitos-criadores que possam ampliar a produção de sentidos destas práticas. Neste intuito é necessário reconhecer escrituras digitais que representem os diversos extratos desta prática. Extrato, não no sentido de extratificação hierárquica do melhor; do poder, mas sim, do extrato; do “sumo”; do que tem a competência, do vivido e da tecnologia, para mostrar, através de sua escrita, aquele fazer singular por mais tênue que seja esta singularidade.
É necessário “vozes” entre os artistas da cena. Sigo a categorização criada para o meu objeto de pesquisa: A escrita digital ONLINE sobre processos de criação.

Caracterizada por estar disponibilizada na rede (internet).
Caracterizada por estar disponibilizada na rede (internet) com percurso pré-determinado.
Caracterizada por estar disponibilizada na rede (internet) com percurso não determinado.
Caracterizada por tempo de atualização.
Caracterizada por representação: de sujeito-indivíduo ou de sujeito-coletivo.
Caracterizada por apresentar ou não zona reservada (código de acesso limitado à autorização prévia)


Pretendemos nos colocar sempre atentos, quanto aos vários aspectos desta extratificação, para abandoná-las ou não, ou a elas juntar novos elementos. Intuímos que alguns sujeitos operam com mais de um desses extratos. Eles serão considerados nas suas mais possíveis combinações inclusive a partir das questões levantadas na problematização.

5 - Técnicas de Coleta de Dados:

Pesquisa bibliográfica e infográfica:

- Consultas on-line a bibliotecas, instituições, universidades e editoras.
- Armazenamento das informações obtidas em dispositivos eletrônicos, para posterior inclusão no hipertexto final.
- Análise de obras digitais selecionadas e adquiridas num processo descritivo-analítico com as ferramentas dos métodos de abordagem (cartográfico e etnometodológico).

Obs: Todo e qualquer material disponível na internet e, circunscrito no campo e corpus desta pesquisa, será examinado como matéria passível de linkage, no documento final. Caso isto ocorra, esses documentos sofrerão uma operação de abordagem.

6 - Etapas/ Metas dos Procedimentos de Coleta de Dados:

a) Fazer o levantamento infográfico e bibliográfico.
b) Identificar os objetos eletrônicos para a pesquisa.
c) Selecionar amostragem
d) Análise do corpus selecionado
e) Pesquisar documentos complementares
f) Re-configurar novos documentos processuais
g) Fazer experimentos de captura interativa
h) Refazer quaisquer etapas anteriores
i) Avaliar a produção da coleta de dados para o encerramento desta fase com base em material teórico/ técnico.

7 - Análise de Dados:

Como já foi argüida anteriormente, a análise dos dados seguirá duas orientações, quanto a sua natureza:
a) Análise exterior: Esta orientação sugere a análise dos dados a partir da articulação entre os métodos de abordagem escolhidos e as teorias de base da pesquisa. No caso deste projeto a Filosofia Deleuzo-Guattariana e os estudos da Cibercultura.
b) Análise interior: Esta orientação sugere que os pesquisadores fiquem atentos as noções formuladas e/ou fornecidas pelos sujeitos-criadores, bem como, pelas reflexões formuladas a partir da análise dos seus próprios processos, isto é, uma construção auto-reflexiva. A percepção dos meus próprios Etnométodos historiográficos, articulados com os de outros criadores, fornecerá as noções necessárias e orientadoras para a análise dos dados. É o próprio dado revelando o caminho de sua interpretação.

2 comentários:

papistar_nunes disse...

Quando uma pessoa faz o "doutorado", parece que ela não tem mais o que aprender. Eu, aqui com o meu parco entendimento,analiso e chego a conclusão que isso se passa dentro de mentes limitadas.A concretização dessa minha análise se dá quando vejo a Wlad com sua sede de conhecimento criar esse projeto que hoje ,tirei o dia para conhecer, me inteirar um pouco mais, onde ela está atràs de novos mecanismos de interação global. Assim, é viver em grandiosidade, em constante crescimento.
Legal conhecer e participar da vida de uma pessoa tão inteligente. Me deu até vontade de voltar a estudar ahahahahahahaha

DONAJULINHA disse...

Conheci a Professora Wlad quando fazia teatro com o Ramon Stergman no grupo Maromba. Andávamos pelos mesmos caminhos cênicos naquele tempo. Estive ausente de Belém por uma década e quando regressei a Wlad estava concluindo o Doutorado. Fiquei profundamente feliz em razão de ser uma grande preocupação pessoal essa questão da formação do artista. Como professora de ensino fundamental e médio dou a conhecer que é preciso estudar, artista precisa e deve ter qualificação, não podemos nos apropriar do ser artista tão somente pela vocação, pelo exercício desqualificado de fazer arte seja ela qual for, pois, esse fazer, exige nos dias atuais técnicas mil. Entendo que a arte se refina e profissionaliza contribuindo com a evolução humana pois, indubitavelmente caminhamos, talvez não tanto quanto devêssemos, mas caminhamos. Assim, a Professora Wlad passou a ser alguém em quem posso me apoiar nas minhas aulas quando preciso contribuir com um aluno que quer ser artista mas que não se debruça sobre uma leitura significativa para tal, não se esmera em disciplinamento tão necessário para o estar em cena com a qualidade que o palco exige nos dias de agora. A Professora Wlad está aqui e agora, uma pessoa presente, ao nosso alcance, viva, atuante e que pode através do seu fazer, entre tantas outras coisas, validar a minha fala de orientadora, contribuindo de fato com a formação do cidadão, ação que é de grande significado para mim como educadora. Essa proposta de estudo por meio da REDE TEATRO D@ FLORESTA, só vem legitimar o que penso, o que prevejo e o que de fato espero do verdadeiro artista e sua arte.


BELÉM, 26/12/09.